Estação Ásia

Nesta estação remota a pairar sobre a Ásia, três viajantes pedem ao Astronauta as imagens do início da pandemia. Vêm as imagens de uma pequena vila chinesa e de um mercado onde animais vivos exóticos eram vendidos para consumo. Aos viajantes, parecia difícil que tudo isto tivesse começado ali.

O astronauta disse que pouco mais tinha a acrescentar, mas que achava que o respeito pelos animais e protegê-los por aquilo que eram e pelo que nos poderiam servir, seria uma mais valia para o futuro e poderia evitar o desenvolvimento de novas Zoonoses (doenças transmitidas de animais para humanos)

Despediram-se do Astronauta e pediram-lhe as coordenadas da estação “África”. O astronauta, aborrecido, e querendo adiar o momento em que voltaria à solidão, decidiu divertir-se um pouco.


Problema 1:

Num baú, existiam cinco capacetes - três capacetes pretos e dois capacetes brancos. O astronauta fez os viajantes sentarem-se em cadeiras e colocou-os, de forma a que o último viajante - no fundo da fila - pudesse ver os dois à frente, o viajante do meio pudesse ver a única pessoa à frente dele, e o viajante da frente não pudesse ver nada mais além da vista sobre a Ásia. O astronauta vendou os viajantes e colocou um capacete em cada um. De seguida, removeu as vendas e disse aos viajantes que poderiam receber a coordenada da estação seguinte se dissessem corretamente a cor do capacete que estão a utilizar, no entanto, se a resposta fosse errada, teriam de navegar sem destino. Escusado será dizer que os viajantes não podiam ver de que cor é o capacete que têm na sua própria cabeça. O astronauta pergunta ao primeiro viajante: “Qual a cor do teu capacete?” ao qual ele respondeu que não sabia. De seguida, fez a mesma questão ao viajante do meio e a resposta foi semelhante. Quando o astronauta perguntou ao viajante na frente da fila que capacete tinha, este responde corretamente e recebeu a coordenada. Qual a cor do capacete que ele usava e como sabia ele a resposta certa?

Desafio 1:

O momento em que a gravidade já não nos afeta! Isto merece uma fotografia. Vamos a isso, fotografa o teu clã em gravidade zero!

Estação África

Chegaram à estação que sobrevoava África. Os Astronautas que lá estavam pediram informações sobre a pandemia no mundo. Os Viajantes explicaram o estado das coisas e os astronautas deram-lhes uma técnica ensinada durante a sua formação. Afinal são os pequenos gestos que fazem as grandes mudanças. Disse o Astronauta: “Em média as pessoas tocam na cara entre 2 a 3 mil vezes por dia, 3 a 5 vezes durante cada minuto que estamos acordados. Pelo meio tocamos em maçanetas, portas, balcões, botões de elevadores e uns nos outros. Se infetados, todas estas coisas em que tocamos tornam-se fómites (qualquer objeto inanimado ou substância capaz de absorver, reter e transportar organismos contagiantes ou infeciosos - de germes a parasitas - de um indivíduo a outro).

Os Viajantes agradeceram, receberam as coordenadas para a estação “América” e despediram-se, quando o astronauta lhes pediu ajuda.


Problema 2:

A estação tinha uma avaria na central de comunicações e o Astronauta não conseguia resolver o problema. Os viajantes dispuseram-se logo a ajudar, pois alguns eram especialistas em telecomunicações.

Quatro viajantes tinham de atravessar um cabo de aço a meio da noite para fora da estação para poderem reparar a avaria, mas apenas dois podem atravessar de cada vez. Eles têm apenas uma botija de oxigénio e, portanto, um viajante deve trazê-la de volta através do cabo, para dentro da estação antes que mais alguém possa aventurar-se no exterior.

Um dos viajantes demora 1 minuto a atravessar, o outro 2 minutos, e os restantes dois demoram 5 e 10 minutos respetivamente. Hipoteticamente, se o viajante de 2 minutos e o viajante de 5 minutos forem juntos, isso iria demorar um total de 5 minutos, mas alguém precisa trazer a botija de volta, o que irá resultar em 7 minutos gastos se o viajante de 2 minutos retornar com a botija. Todos precisam de atravessar o cabo de aço em 17 minutos ou menos, caso contrário falharão a possibilidade de contactar com a Terra.

De que forma conseguirão os viajantes restaurar as comunicações com a terra?

Desafio 2:

Depois de resolvida a avaria nada melhor do que testar. Junta o clã e cria uma mensagem de esperança (em vídeo) que possa ser transmitida do espaço para a terra.

Estação América

Chegados à estação, o Astronauta informou-os que em alguns pontos do continente viam que a infeção não se propagava da mesma forma que nos outros lados. A única coisa que viam por análise das temperaturas locais, era que a infeção era “menor” onde as pessoas ficavam mais tempo em casa, saindo apenas para o essencial e mantinham o distanciamento social.

Problema 3:

Podemos fazer aqui um estudo sobre a propagação do Vírus. Diz o astronauta: “Vou escrever um número positivo em cada uma das vossas testas. Este número representa o rácio de propagação numa aldeia vs o número de pessoas que saem para a rua. Nenhum dos números é o mesmo, e dois deles somam o terceiro.” Ele rabisca os números na cabeça dos viajantes e pergunta ao J qual o seu número. J vê um 20 na testa de L e 30 na testa de V.

Após pensar um momento, J diz: “Não sei qual é o meu número”. L acrescenta: “Eu também não sei o meu número” e a seguir V afirma: “Eu também não!”.

O Astronauta diz alegremente: “Finalmente fui mais esperto que vocês!”

Por fim J exclama: “Aha! Já sei o meu número!”

Qual é o número da J?

Desafio 3:

Ficar em casa continua a ser necessário para se poder combater eficazmente a propagação da pandemia. Já fizeste uma campanha para partilhar pelo teu agrupamento?

Faz um spot para “espaço de antena” sobre o combate ao vírus e ficar em casa. Mostra-nos pelo menos 6 atividades diferentes que podes fazer em casa.

Estação Oceanos e Espaço

Quando chegaram à estação Europa recebem tristes notícias dos Astronautas. Na terra ainda há quem pense que não se passa nada. As pessoas ainda agem como se fosse só uma gripezinha, sem perceberem que as ações refletem-se no próximo. Os viajantes perguntaram ao Astronauta como poderiam ajudar. O astronauta disse-lhes que de momento a informação era mesmo a melhor arma. Saber mais, informar mais pessoas.

Problema 4:

A Estação Espacial é a mais recente de todas as estações e poucas pessoas no mundo já estiveram dentro dela. O astronauta informou os viajantes que poderiam fazer uma visita ao seu interior, no entanto teriam de resolver um enigma.

O código para entrar na nave era composto por uma sequência de vários números, somas e subtrações. O objetivo seria chegar ao número 100.

Partindo pela sequência de dígitos 9 8 7 6 5 4 3 2 1, e sem alterar a ordem pela qual eles são apresentados, como é possível chegar ao número 100?

Terá maior pontuação quem utilizar menos somas/subtrações para cumprir o objetivo.

Exemplo da sequência 654321: 6+5+4+3-2-1 = 15

Exemplo da sequência 987654: 9+87-6-54 = 36

Depois de lhes mostrar a Estação o Astronauta, pediu-lhes 5 minutos para olharem uma obra de arte que ele tinha feito. Os viajantes acharam que podia ser só deles, mas que aquilo não prestava para nada. Então resolveram fazer uma exposição de arte para o astronauta

Desafio 4:

Juntem o clã, escolham a vossa obra de arte e recriem-na.

Estação Oceânia

Na estação Oceânia, os astronautas receberam-lhes com uma dança. depois convidaram-nos a entrar e partilharam a informação que tinham e que receberam dos Viajantes Disseram-lhes que só lhes podiam acrescentar como proposta de solução ao problema: trabalhar em comunidade, perceber que não estamos sozinhos e que há muita gente a precisar de ajuda. Estamos todos ligados e dependemos todos uns dos outros.

Problema 5:

Muitos são os astronautas que querem ir ao espaço, e para a grande viagem de 2020 foi necessária fazer uma seleção para obter apenas aqueles que seriam os grandes merecedores. Mas como poderia ser atribuída tal distinção? Os bons astronautas comem alimentos saudáveis e a fruta é essencial. Partindo desse princípio, foi lançado um desafio.

Na fábrica que encaixota as maçãs e laranjas que são enviadas para o espaço, um dos trabalhadores baralhou as etiquetas e etiquetou incorretamente as caixas. Uma delas contém maçãs, outra laranjas e outra uma mistura de maçãs e laranjas, no entanto, as etiquetas M, L e M+L não estão colocadas nas caixas corretas. Para ajudar a resolver o mistério, é possível escolher uma caixa e o trabalhador irá tirar uma fruta para mostrar qual é. Essa ajuda pode ser dada apenas uma vez.

Como é possível determinar – sem qualquer dúvida – qual o caixote das maçãs, qual o das laranjas e qual o que contém as duas?

Desafio 5:

Para comemorar a resolução do problema anterior, gravem uma dança relacionada com comida saudável! Inspirem-se na dança da banana, dança da salada, etc.

Criem a vossa própria dança, recordem o fogo conselho escolham o alimento e…

Estação Europa

Os Viajantes começavam a desanimar. Viajaram milhares de km à procura de uma solução. Era verdade que tinham muita informação nova que levariam para o planeta Terra, mas ainda nada lhes dava uma cura definitiva. A tristeza começou a tomar conta deles. Disse-lhes o mais antigo Astronauta:

“A solução está realmente a ser procurada por cientistas na terra. Para já saibam que também vocês e qualquer um que viva na terra e em zonas afetadas é parte da cura. Vocês são a vacina.”

Os viajantes sorriram e perceberam que sempre tiveram a solução. O Astronauta convidou-os a olhar para as Estrelas. disse-lhes baixinho: “nunca me senti tão perto de Deus como aqui”

Os viajantes sentiram o mesmo… Ali, Ele, naquele momento que atravessavam, estava mais presente que nunca.

Os Viajantes voltaram à Terra. Sabiam que as notícias iam ser duras, quando todos queriam voltar à vida normal. Mas juntos, sempre juntos conseguiriam vencer. Não iram ficar todos bem. Mas juntos conseguiriam ultrapassar.

Problema 6:

Existem cinco constelações localizadas uma ao lado da outra numa galáxia distante. Cada uma tem um nome único e é composta por um certo número de estrelas. Cada uma das constelações foi descoberta por um telescópio, observada por uma marca de lentes específica e registada num computador. Nenhuma das constelações partilha nenhuma dessas variáveis – nome, quantidade de estrelas, telescópio, lentes e computador – todas elas são únicas.

AQUILO QUE SABEMOS:

*A constelação Hydrae é composta por 8 estrelas. A Scorpii foi registada num computador Acer.

*A constelação Circini foi descoberta num telescópio Orion.

*A constelação com 38 estrelas fica à esquerda da constelação com 19.

*A constelação com 38 estrelas foi descoberta por um telescópio Meade.

*A constelação observada por lentes Sony foi registada num computador Dell.

*A constelação com 12 estrelas foi observada com lentes Canon.

*A constelação do meio foi descoberta por um telescópio Celestron.

*A constelação Andromedae está na primeira posição.

*A constelação observada por lentes Nikon está ao lado da constelação registada num Apple.

*A constelação observada por lentes Pixma foi descoberta por telescópio Levenhuk.

*A constelação registada num computador HP está ao lado da constelação observada através de lentes Canon.

*A constelação Pictoris é observada através de uma lente Carl Zeiss.

*A constelação Andromedae está ao lado da constelação com 21 estrelas

*A constelação observada por lentes Nikon está ao lado da que é observada por um telescópio Gskyer.

Desafio 6:

Criem uma “caixa do tempo”. Lá cada um pode guardar desejos, vontades, sonhos, emoções. Através de vídeo, carta, cartaz, fotografia ou como quiserem, façam um registo do que são dos vossos desejos e ansiedades que enfrentam por estes dias. Podem partilhar já em clã, esperar pelo momento do reencontro ou voltar a este dia daqui a um ano. Aqui não precisamos ver o que está dentro da caixa de cada um. Mostrem-nos apenas as vossas caixas. Rezem em conjunto por elas.